Arquivo do Mês de Novembro, 2010

Antologia de Carlos Paredes

Terça-feira, 30 Novembro, 2010

Antologia com um tema inédito e clássicos remasterizados. A edição especial inclui um 2.º CD com as grandes colaborações.

‘Sobre Carlos Paredes já tudo foi dito. Não deixa de ser importante recordá-lo, num país que continua a ter uma enorme dificuldade em lidar com a sua memória e, sobretudo, com a sua memória cultural. Afinal, este homem modesto, tímido, discreto, de cujos dedos saíram algumas das peças mais imortais da música portuguesa’, escreve o jornalista Jorge Mourinha a propósito da Antologia que chega às lojas na próxima segunda-feira.

‘E, contudo, se falássemos com ele, a sua modéstia impedi-lo-ia de olhar para a sua música como “grande música” – preferiu desde sempre chamar-lhe uma “pequena música”, indigna dos mestres e antecessores em cujos passos não ousava seguir, mero esboço de possível reportório erudito para um instrumento que era preciso libertar enquanto solista. Mal sonhava ele que, hoje, a sua “pequena música” é encarada como inultrapassável, magistral, genial.’

E acrescenta: ‘Num disco, temos Paredes solista, compositor de génio, executante iluminado. (…) No outro disco, encontramos Paredes acompanhante, numa reunião de raridades perdidas ou esquecidas, quer como compositor, quer como músico convidado. Mas o calibre daqueles que surgem a seu lado – de uma figura tão marcante das músicas improvisadas como Charlie Haden aos poetas Ary dos Santos e Manuel Alegre, do nome maior do fado que é Carlos do Carmo aos pioneiros de uma nova canção portuguesa que foram os Madredeus – deixa bem visível como o seu talento era raro e precioso. É por isso que, mais do que voltar a ouvir Paredes, o mais importante é nunca o esquecermos. Porque Carlos Paredes era único. Foi para talentos como ele que se inventou esta palavra: génio.’
A edição 2CDs é um exclusivo FNAC.

Fonte

Gala «Há Fado na Mouraria»

Segunda-feira, 29 Novembro, 2010

Já estão à venda os bilhetes para a final do Há Fado na Mouraria no Teatro da Trindade, dia 1 de Dezembro, às 21h. Apoie os grandes finalistas – não 12, mas 15! – e ouvir em primeira mão os futuros clássicos do fado. Bilhetes disponíveis no Teatro Trindade, na FNAC e na Ticketline. O preço é único: 5€. Pode espreitar os finalistas no site Renovar a Mouraria. Relembro, no entanto, a conversa no passado mês de Setembro, nos estúdios da Rádio Amália, com Ori Ana e Ester Margarida, ambas da associação Renovar a Mouraria, que nos falaram não só do concurso de Fado Amador «Há Fado na Mouraria», assim como toda a dinamização que a associação presta à comunidade nacional e internacional que habito num dos bairros mais típicos da capital.

Pedro Moutinho é «A Estrela da Tarde»

Domingo, 28 Novembro, 2010

Lisboa Mora Aqui: Nesta Voz

Nesta voz onde a palavra cantada se afadista sem qualquer enfeite. Se afadista como pedra da casa. Como janela que dá para as ruas cheias de sol. Como noite nas vielas onde o mistério guarda, nos passos, o silêncio da memória das vozes. Na voz que ele é, Lisboa não tem portas. É o mundo, neste canto que se acende, morde as palavras, torna a meiguice amarga e leva tudo à sua frente quando numa dança inesperada se levanta, num sério que ri, num escorregar de consoantes, num brilhar de vogais feitas arco-íris de cor que entra pelos ouvidos adentro – ouvidos já feitos cidade – como uma pintura sonora de Lisboa. Voz frágil, forte, que interroga, que afirma. Que é trémula e delicada fazendo da malícia um sussurro balançado. Mas que é também um protesto quase mudo, que nos aperta o coração sem percebermos porquê. Uma luz clareia as pregas do medo, desfazendo mágoas que não doem enquanto esta voz as cantar. Lisboa passa-lhe pelos lábios, é a cidade que canta e tudo se transforma em paisagem num fado de palavras que habitam esta Lisboa que Pedro Moutinho é. Lisboa mora aqui. Neste encontro que é também com o seu canto de ainda quase um menino e a quem ele próprio dá a mão para chegar ao Pedro Moutinho de hoje. Os sentidos ardem na sua voz e em nós. Esvoaçam na sua pele e na nossa. São “promessas imperfeitas” que nos “vão levando em segredo”, sentados ao seu lado,ouvindo uma fonte de água pura que se bebe como um sol. E, parados a escutá-lo, o “céu é grande” e esverdece, quando o Pedro, de olhos fechados, canta que não sabe como voltar. Lisboa é assim, porque ele assim a canta. Lisboas há muitas. Mas a de Pedro Moutinho é longe, é perto, é qualquer lugar para onde o fado da sua alma se lembre de ir, feito asa, para lá dele próprio e de Lisboa.

Amélia Muge

Fonte

Ricardo Ribeiro no CCB

Domingo, 28 Novembro, 2010

Re-edição «Com Que Voz» de Amália

Sábado, 27 Novembro, 2010
Como é que o maior dos intérpretes portugueses conseguiu fazer, à beira dos 50 anos, o melhor disco da sua vida?
Que condições ideais permitiram a gravação do disco perfeito? Quem se lembrou de reduzir para 2 músicos um quarteto de guitarras? E que peso teve isso no som, nos arranjos e até nas melodias?
Quem participou, o que fez e como contribuiu para a construção da obra-prima? Qual o caminho até “Com Que Voz”?
Nos 40 anos de “Com Que Voz”, a reedição ambiciosa e definitiva: O LP original de 1970 re-masterizado em 2010. Um CD bónus com raridades e 15 gravações inéditas.
Re-masterização das fitas originais e mistura de 8 faixas reencontradas em 2010 por Joel Conde (Estúdios Tcha Tcha Tcha). Um booklet de 88 páginas com muitas imagens inéditas e a narração a várias vozes do romance do “Disco Perfeito”.
Textos de Vítor Pavão dos Santos, Sara Pereira, Salwa Castelo Branco, Margarida Mercês de Mello, Frederico Santiago e David Ferreira. Arranjo gráfico de Ricardo Mealha e Luís Homem de Mello.
As respostas no dia 6 de Dezembro, numa loja perto de si!

Biografia Ilustrada de Amália

Sexta-feira, 26 Novembro, 2010

«Se eu tivesse de reunir toda a minha vida em poucas palavras, perguntam vocês? Olhem, o que talvez me defina melhor é a sensação de ser às vezes duas pessoas diferentes, ter um lado solar e alegre de querer ir colher flores, e um lado nocturno, de tristeza sem fim. Ser ao mesmo tempo coração e cabeça.»

«Chamo-me Amália» é uma biografia ilustrada de Amália para os mais pequenos e que tem o selo da didáctica Editora. Este volume integra uma coleção juvenil que fica personalidades no âmbito universal, apresentadas com uma linguagem fluida e acessível. O exemplar sobre Amália inclui textos de Maria Inês Almeida e ilustrações de Sérgio Agostinho e Cláudia Dias.

Fonte

Feira de Arte Contemporânea

Sexta-feira, 26 Novembro, 2010

ARTE LISBOA 2010 CELEBRA O SEU 10º ANIVERSÁRIO DE 24 A 28 DE NOVEMBRO

NO PAVILHÃO DO RIO DO CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA

A próxima edição da ARTE LISBOA, Feira de Arte Contemporânea, que decorre de 24 a 28 de Novembro de 2010, no Pavilhão do Rio do Centro de Congressos de Lisboa, será um momento de celebração por excelência, já que se assinala a comemoração do seu décimo aniversário, num evento único que reflecte a vitalidade da cena artística portuguesa.

Durante cinco dias, a 10ª edição da Feira de Arte Contemporânea de Lisboa reúne a excelente oferta das 41 galerias participantes no seu Programa Geral, entre elas as principais galerias portuguesas, a par das galerias espanholas e de outras internacionais, e um espaço de projectos comissariado por Filipa Oliveira, que oferece uma visão sobre a dinâmica e a extrema qualidade da arte contemporânea na cena nacional.

Este espaço, intitulado “Terraço”, que se caracteriza por acolher um espectro alargado de propostas representativas da diversidade das actividades artísticas em Portugal, integra um importante núcleo de projectos individuais de criadores emergentes e de artistas com carreiras afirmadas, representados por galerias presentes no programa geral da feira, que conta com obras dos seguintes artistas:

António Trindade – Arte Periférica | Bruno Cidra – Galeria Baginski | Carlos No – Arthobler | Cristina Mateus – Galeria Fernando Santos | David Oliveira – Galeria Pedro Serrenho | Domingos Rego – Galeria João Esteves de Oliveira| Isabel Brison – Carlos Carvalho – Arte Contemporânea | José Luís Neto – Galeria Miguel Nabinho | Júlia Ventura – Galeria Filomena Soares | Julieta do Vale – Galeria Monumental| Marta Wengorovius – Alecrim 50 | Pedro Neves Marques – Galeria Pedro Cera | Rosa Carvalho - Galeria Presença | Rui Pedro Jorge – Galeria 111 | Sandra Rocha – Galeria Fonseca Macedo |Silvestre Pestana – Galeria Alvarez | Virgílio Ferreira – Módulo

Situada na belíssima mezzanine do edifício do Arquitecto Keil do Amaral, a proposta de Filipa Oliveira para esta 10ª edição da ARTE LISBOA, inclui igualmente a apresentação de alguns espaços alternativos (o colectivo Kameraphoto, Plataforma MA, The Mews), bem como projectos relacionados com publicações de artistas (INC e A Estante) e iniciativas de apoio à criação artística nacional (Fundação PLMJ), que a par das galerias, contribuem decisivamente para o desenvolvimento da arte contemporânea em Portugal.

Reunindo um conjunto de galerias, obras e projectos de excepcional qualidade, e um intenso programa cultural para coleccionadores, de 24 a 28 de Novembro a ARTE LISBOA voltará a ser um ponto de encontro para o meio especializado e para o público em geral usufruir do estimulante plano de iniciativas artísticas que esta décima edição oferece.

GALERIAS PRESENTES NA ARTE LISBOA 2010

111 - Lisboa/Porto – Portugal | ALECRIM 50 - Lisboa – Portugal | ALONSO VIDAL - Barcelona – Espanha | ALVAREZ - Porto – Portugal | ALVARO ÁLCAZAR - Madrid – Espanha | ANTÓNIO PRATES - Lisboa – Portugal | ART LOUNGE – Lisboa – Portugal / Mónaco | ARTE PERIFÉRICA - Lisboa – Portugal | ARTHOBLER - Lisboa/Porto – Portugal | ASTARTÉ - Madrid – Espanha | BAGINSKI - Lisboa – Portugal | CANEM – Castelló – Espanha | CARLOS CARVALHO - Lisboa – Portugal | DEL SOL ST. - Santander – Espanha | ESQUINA ARTE CONTEMPORANEO - Madrid – Espanha | ESTAMPA - Madrid – Espanha | FERNANDO SANTOS - Porto – Portugal | FILOMENA SOARES - Lisboa – Portugal | FONSECA MACEDO – Ponta Delgada, Açores – Portugal | GUILLERMINA CAICOYA - Oviedo – Espanha | INFLUX CONTEMPORARY ART - Lisboa – Portugal | JOÃO ESTEVES DE OLIVEIRA - Lisboa – Portugal | JUAN SILIÓ - Santander – Espanha | KUBIKGALLERY - Porto –Portugal | LA CAJA CHINA - Sevilha – Espanha | MARÍA LLANOS - Cáceres – Espanha | MIGUEL NABINHO - Lisboa – Portugal | MÓDULO – Lisboa/Porto – Portugal | MONUMENTAL - Lisboa – Portugal | pazYcomedias - Valência – Espanha | PEDRO CERA - Lisboa – Portugal | PEDRO SERRENHO – ARTE CONTEMPORÂNEA - Lisboa – Portugal | PERVE - Lisboa – Portugal | PRESENÇA – Porto – Portugal | SÃO MAMEDE - Lisboa/Porto – Portugal | SCQ - Santiago de Compostela – Espanha | TREMA - Lisboa – Portugal | TRINDADE - Porto – Portugal | TWO HEADS CHICKEN GALLERY - Évora – Portugal | VALBOM - Lisboa – Portugal | VÉRTICE - Oviedo – Espanha

ARTE LISBOA 2010 – Feira Internacional de Arte Contemporânea

CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA – Pavilhão do Rio

24 – 28 de Novembro de 2010

Contactos:

T.: +351 21 892 1500

F.: +351 21 892 1555

artelisboa@aip.pt | filpress@aip.pt | www.artelisboa.fil.pt

DATAS E HORÁRIOS

Preview & Vernissage:

24 de Nov. – 18:00 – 23:00

Abertura da feira ao público:

25 a 28 de Nov. – 16:00 – 23:00

BILHETEIRA

Individual 25 a 28 de Novembro -

8,00€

Estudante, Jovem, Sénior – 4,00€

Catálogo Oficial da ARTE LISBOA

2010 – 20,00€

Cantar Ary

Sexta-feira, 26 Novembro, 2010

Exposição no Museu do Fado

Quinta-feira, 25 Novembro, 2010

O Museu do Fado e a DGSP (Direcção-Geral dos Serviços Prisionais) apresentam no dia 25 de Novembro às 18h30 a mostra “Fados Cativos”, uma exposição de trabalhos realizados por reclusos sob o tema do Fado.

Estarão em exposição no Museu do Fado mais de 60 obras realizadas por reclusos dos Estabelecimentos Prisionais de Alcoentre, Beja, Braga, Carregueira, Castelo Branco, Covilhã, Elvas, Faro, Guarda, Izeda, Leiria, Linhó, Montijo, Paços de Ferreira, Pinheiro da Cruz, Santa Cruz do Bispo, Sintra, Tires e Torres Novas. Os trabalhos são executados com os mais diversos materiais, nomeadamente materiais recicláveis.

A exposição estará patente no Museu do Fado até 19 de Dezembro.

Fonte